Escolha uma Página

Lu Paternostro

Chamo-me Luciana G. Paternostro. Sou artista plástica, designer, ilustradora, amante da fotografia e da cultura tradicional do Brasil. Nasci e vivo em São Paulo, na capital. Já participei de várias exposições coletivas e de publicações do segmento da arte e design. 

Formei-me em Artes Plásticas pela Fundação Armando Álvares Penteado – FAAP, onde tive a oportunidade de ser aluna de importantes artistas brasileiros como Julio Plaza, Nelson LeIrner, Evandro Jardim, Regina Silveira, Donato Ferrari, Donato Chiarella, dentre outros.

Porém, devido minha atividade na área de turismo e hotelaria, segmento principal atendido pela minha empresa, a OPY Comunicação, me pós graduei em Planejamento e Marketing Turístico pelo Senac/SP. 

Acreditando que pudesse juntar o meu conhecimento em design com o turismo, tendo como célula principal as cidades e seus aspectos culturais, característicos e próprios de cada uma, e sabendo que não poderia abarcar as cidades do Brasil, criei e produzi, junto à OPY, o Portal Cidade Paulistas, um guia on line de cidades de São Paulo.

O estudo da cultura das cidades, impactou meu trabalho de arte e design, despertando o gosto e a paixão pela cultura tradicional brasileira, elaborando vários trabalhos junto a empresas.
Por conta desse “amor” pelo Brasil, fui convidada para desenvolver a série de rótulo Traços do Brasil, da Cerveja Paulistânia, com 4 séries: “Tipos Tradicionais Brasileiros”, “Manifestações da Cultura Tradicional Brasileira”, “Imigrantes do Brasil” e “Tradições Gaúchas”, sendo está última veiculada no EUA. Estes trabalhos serviram de referência para diversas escolas que utilizaram meus traços e temas para os trabalhos de alunos de diversas idades. Veja mais aqui!

Atualmente exploro a arte em multimeios também, migrando meus grafismos para um ambiente interativo, explorando novos meios que permitem a fruição de meus desenhos, personagens, cenas e mundos que vou criando. estou me desintrincando, talvez.

Na exploração continua, levei meus grafismos em preto e branco para peças em cerâmica, que você pode conhecer aqui.

Atualmente desenvolvo trabalhos com empresas.


A SÉRIE MUNDOS INTRINCADOS

Texturas que contam histórias. Histórias que contam desenhos

“Sempre tive vontade de criar e contar histórias e o desenho é a forma de expressão que adotei por poder unir o literal à plasticidade dos materiais
e o gestual dos traços.

Com meus desenhos busco suscitar a curiosidade do observador, envolvendo-o nas situações, fazendo-o descobrir no meio da textura-figura, cenas inusitadas, enredadas com outras, aparentemente sem fim. Minha opção para isso é o suporte sempre grande e os detalhes sempre pequenos.

Inicio meus trabalhos com planejamento, traçando linhas e idealizando locais onde nascerão os mundos para, após algum tempo absorta na produção, perceber que criei algo diferente do planejado, me surpreendendo com o resultado. Isso me alimenta.

É uma descoberta a cada traço e uma surpresa a cada retomada do trabalho. Nesse momento percebo que os mundos intrincados têm organização própria. Têm vida…

Meu desenho é um canal que me possibilita refletir a vida, minha maior inspiração. A vida não é sempre do jeito que a gente quer. É ela quem desenha a cada dia os mundos intrincados, vidas entrelaçadas a tantas outras vidas, formando um desenho maior, um universo que nasce do entrelaçamento.

Dependendo da distância do observador, outros desenhos ou vidas se revelam, e assim, vivendo, vamos desenhando
a vida ou sendo desenhados rumo aos nossos destinos, criando a textura das histórias… que contam desenhos.” Lu Paternostro

EXPOSIÇÕES PERMANENTES:

Exposição Permanente “Lendas Amazônicas”, Nobile Manaus Hotel Airport, Manaus.

Exposição Permanente “The Guest World InterContinental”, São Paulo.

Exposição Permanente “Uma Homenagem ao meu País”, Allia Gran Brasília.

EXPOSIÇÕES:

• Exposição “Mundos Intrincados”. Higienópolis Hotel. São Paulo/ SP. Novembro e Dezembro de 2016 e Janeiro e Fevereiro de 2017.

• Exposição “Uma Homenagem ao meu País”, Yate Clube de Brasilia. Dezembro de 2016.

Exposição “Uma Homenagem ao meu País”, Casa Thomas Jefferson. Brasilia/ DF. Março de 2016.

Exposição Feira Parte, com Galeria Casa das Artes. Novembro de 2015.

Exposição Permanente “Uma Homenagem ao meu País”, Metrô de São Paulo. Outubro, Novembro e Dezembro de 2015.

• Exposição Coletiva na Toyo Art Design. São Paulo/ SP. De 23 de Julho a 29 de agosto de 2015.

• Exposição “Mundos Intrincados”. Minas Centro. Belo Horizonte/ MG. De 20 a 24 de Agosto de 2013.

• Exposição “Mundos Intrincados”.  Centro de Convenções Imigrantes. São Paulo/ SP. De 02 a 07 de Julho de 2013.

• Exposição Itinerante “Mundos Intrincados” no Metrô de São Paulo, 10 a 30 de Abril de 2013, Estação Metrô Alto do Ipiranga.

• Exposição Itinerante “Mundos Intrincados” no Metrô de São Paulo, 10 a 30 de Maio, Estação Clínicas.

• Exposição Itinerante “Mundos Intrincados” no Metrô de São Paulo, 10 a 30 de Junho, Estação Santana.

• Exposição Itinerante “Mundos Intrincados” no Metrô de São Paulo, 10 a 30 Julho, Estação Largo Treze de Maio. 2013

• 6a Bienal do Esquisito, Museu do Olho Latino, Atibaia/ SP. Maio, 2012

• Exposição Itinerante Internacional “Um Livro sobre a Morte”. Participação com 4 trabalhos da série Mundos Intrincados. Exposição no MuBE em São Paulo e em outros países. Em 2009.

• Artista selecionada com a obra “Mundos Kaóticos”, para o 1º Salão de Belas Artes de São Paulo, promovido pela Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo. 2008

• Coletiva “Exposição e Eventos”. Museu de Arte Brasileira. 1985

• Coletiva Anual. Museu de Arte Brasileira da FAAP. 1983 e 1984

 PRÊMIOS:

• Primeiro Lugar – Categoria Fotografia – II Prêmio “Metropolitana Fiat”. Espaço Cultural Metropolitana. 1989.

• Medalha de Prata – Categoria Pintura – Primeiro Prêmio UNAP de Artes Plásticas. União Nacional dos Artistas Plásticos. 1985

PUBLICAÇÕES:

• Revista ZUPI – 1º Edição. Artista selecionada dentre mais de 2.000 designers nacionais e internacionais. 2006

• Catálogo do 1º Salão de Belas Artes de São Paulo

• Catálogo Feira Parte 2015.

ACERVO:

• Obra “Giramundo” doada para o acervo histórico do Museu de Arte do Parlamento de São Paulo. 2010

• Foto premiada no II Prêmio “Metropolitana Fiat”. Espaço Cultural Metropolitana. 1989, doada para a Fundação Casper Líbero.

PALESTRAS:

• “Você como curador: Breves reflexões sobre a curadoria doméstica” – 1º Congresso Nacional de Casa e Decoração, novembro de 2014

Museu de Arte do Parlamento de São Paulo

Emanuel von Lauenstein Massarani

Os desenhos de Lu Paternostro constituem uma espécie de exorcismo e, mesmo que revele a extraordinária habilidade da artista, suas minúsculas imagens englobadas numa só obra, parecem “explodir” automaticamente como um sortilégio ou uma obsessão.

Embora sua inspiração seja transcendental, nada é casual na sua execução. Cada particular é analisado e estudado minuciosamente. As figuras e as cenas, sejam elas estranhas ou harmônicas, são elaboradas numa linguagem clara e positiva, são aparições de grande sensualidade. O estilo é firme e também delicado, às vezes intrigante e apocalíptico mas intimista e pessoal.

Expressionismo e surrealismo estão hoje bem longe da chamada arte contemporânea, entretanto combiná-los de maneira tão pessoal evocam o lado lúdico profundamente ressentido pela artista. A justaposição de uma certa folia à razão, fazem com que suas criações circunscrevem o conjunto das atividades resultantes do desejo humano de “ultrapassar um limite”, de alcançar “o impossível.

Absolutamente monocromáticas suas criações são ao mesmo tempo cômicas e angustiantes. Representam muitas vezes um tumulto incessante, um vendaval implacável que agita e contorce as próprias formas.Guardadas as proporções, a obra de Lu Paternostro poderia ser comparada com a de Hieronymus Bosch: são imagens sensuais, alucinantes, com certa passionalidade, que demonstram a livre determinação de enfrentar a realidade da vida. Embora não assumindo uma posição entre o bem e o mal, ela exprime, sim um aceitação da vida como ela é, vida que deve ser vivida com dignidade e uma compreensão racional da natureza irracional do ser humano.