ilu-brasil-capoeira-lu-paternostro
Ilustração “Capoeira”, da série “Manifestações da Cultura Brasileira.
Copyright Lu Paternostro. Proibida cópia, uso ou reprodução desta imagem sem a autorização da artista.

Quem é homem de bem não trai
O amor que lhe quer seu bem
Quem diz muito que vai, não vai
Assim como não vai, não vem
Quem de dentro de si não sai
Vai morrer sem amar ninguém
O dinheiro de quem não dá
É o trabalho de quem não tem

Capoeira que é bom não cai
Mas se um dia ele cai, cai bem
Capoeira me mandou dizer que já chegou
Chegou para lutar
Berimbau me confirmou vai ter briga de amor
Tristeza, camará

Se não tivesse o amor
Se não tivesse essa dor
E se não tivesse o sofrer
E se não tivesse o chorar
Melhor era tudo se acabar

Eu amei, amei demais
O que eu sofri por causa de amor ninguém sofreu
Eu chorei, perdi a paz
Mas o que eu sei é que ninguém nunca teve mais, mais do que eu

Capoeira me mandou dizer que já chegou
Chegou para lutar
Berimbau me confirmou vai ter briga de amor
Tristeza camará

Berimbau
Baden Powell
Música e poesia

______________

Capoeira

A capoeira é uma manifestação da cultura popular, está presente na totalidade do território brasileiro e em mais de 150 países. Uma expressão que une luta, dança e música. De origem africana, veio com os escravos e desenvolveu-se com bastante força e expressão no Brasil.

Diferente de outras lutas, a roda de capoeira acontece acompanhada com cantorias, ritmos de atabaques e principalmente o berimbal, instrumento que praticamente comanda a forma de acontecer a capoeira.

Na roda de capoeira é um local mágico, um espaço de transmissão dos saberes dos mestres capoeiristas. É um círculo de capoeiristas, um espaço onde encontramos a bateria musical e é onde a capoeira é jogada, tocada e cantada.

O “Roda de Capoeira” e o “Oficio de seus Mestres” foram inscritos no Livro dos Registros de Bens Imateriais do IPHAN – Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, respectivamente nas categorias “Formas de Expressão” e “Saberes”, em outubro de 2008.

____

A capoeira é uma manifestação da cultura popular, está presente na totalidade do território brasileiro e em mais de 150 países. Uma expressão que une luta, dança e música.

De origem africana, veio com os escravos e desenvolveu-se com bastante força e expressão no Brasil, principalmente em grandes cidade portuárias como Rio de Janeiro, Salvador e Recife. No Rio de Janeiro e em Recife, no século IXI a capoeira foi duramente perseguida. Desenvolveu-se mesmo em Salvador, onde a repressão policial era menor. Nesta cidade nasceram as rodas de capoeira.

Diferente de outras lutas, a roda de capoeira acontece acompanhada com cantorias, ritmos de atabaques e principalmente o berimbal, instrumento que praticamente comanda a forma de acontecer a capoeira.

Dentre suas formas, temos a “Capoeira Angola” ou chamada “Capoeira de Vadiação” e a “Capoeira Regional”, criada no começo do século XX pelo Mestre Bimba que fundou, em 1932, a primeira Academia de Capoeira no Brasil.

Em1941 o mestre Pastinha, criou o primeiro espaço formal para o ensino da vadiação. Com eles começa uma capoeira mais “civilizada” e diríamos, “controlada”.

A palavra Capoeira significa “o que foi mata” ka’a (“mata”) e pûer (“que foi”), referindo-se à vegetação rasteira do interior do Brasil onde os índios costumavam fazer suas plantações. Estas áreas cercavam as grandes propriedades rurais que utilizam escravos negros. Era uma forma destes, fingindo que dançavam, aprenderem uma luta que tornava seus corpos armas poderosíssimas contra os ataques e perseguições dos capitães do mato, contratados pelos senhores das fazendas para capturar escravos fugitivos.

De forma geral o objetivo é derrubar o oponente com uma rasteira, porém, quando era necessário para a autodefesa, os escravos podiam matar seus oponentes com golpes letais. Num confronto físico com policias, estes últimos ficavam em desvantagem. Por conta disso, em 1890, o governo republicano brasileiro decretou a proibição da capoeira em todo o território nacional.

A capoeira é composta por diversos movimentos que vão do ataque à defesa. A “ginga” é um movimento de defesa onde o praticante fica se mexendo, gingando o tempo todo. Para os ataques os capoeiristas utilizam chutes, rasteiras, saltos incríveis, cotoveladas, cabeçadas e movimentos elaborados que acontecem tanto no solo como no ar. Exigem desenvoltura, flexibilidade, rapidez, destreza e muita agilidade.

Na roda de capoeira é um local mágico, um espaço de transmissão dos saberes dos mestres capoeiristas. É um círculo de capoeiristas, um espaço onde encontramos a bateria musical e é onde a capoeira é jogada, tocada e cantada. Dependendo do seu conteúdo e modos de entoar, suas canções e ritmos são divididas em ladainhas, chulas, corridos ou quadras. Há também diversos “toques” ou ritmos dados pelos berimbais, que são seguidos pelos outros instrumentos. A bateria é composta também por pandeiros, atabaques e, eventualmente, agogôs. 

O “Roda de Capoeira” e o “Oficio de seus Mestres” foram inscritos no Livro dos Registros de Bens Imateriais do IPHAN – Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, respectivamente nas categorias “Formas de Expressão” e “Saberes”, em outubro de 2008.

______________

Textos: OPY Comunicação Integrada
NOTA LEGAL: Proibida a reprodução total ou parcial sem autorização expressa dos autores

Related Post